domingo, 31 de maio de 2020

Ignite - Benefit (1997)

GÊNERO: Hardcore Old School
ORIGEM: EUA (Huntington Beach-O.C. / Califórnia)
FORMAÇÃO:
Zoli Téglás (Vocal)
Joe Nelson (Vocal)
Joe Foster (Guitarra)
Brett Rasmussen (Baixo)
Casey Jones (Bateria)
.
Este é o quarto split lançado pelo grupo, após 3 álbuns de estúdio, através do selo Ataque Sonoro. Este é um split lançado com o grupo português X-Acto, porém, aqui, comento apenas sobre o Ignite. É um split com nenhuma música inédita, sendo um compilado de dois trabalhos lançados pelo grupo, a primeira demo, Asha Return, de 1993, e o Ep In My Time, de 1994. A demo está com Joe no vocal, enquanto o Ep já é com Zoli. Esta é uma fase do grupo que soa bastante com as bandas straight edge do final dos anos 80 e início dos anos 90. Ao meu ver, lembra bastante o grupo Uniform Choice, porém é possível perceber influências de Minorthreat, Sub Society e Youth Of Today, além de pitadas de Fugazi e Murphy's Law. Asd composições são, no geral, bastante velozes e os vocais bem enérgicos, e tudo soa com muita expressão. Os músicos não são técnicos, porém tudo está no lugar e a falta de técnica é facilmente suprida pela energia que o grupo expressa. Muita energia! Este é o melhor adjetivo para este split que vale a pena conferir!
.
FAIXA A FAIXA:
1) Straight Ahead. O split inicia com a melhor faixa, na minha opinião. Ótimo arranjo e expressão, o destaque está no vocal, em especial na parte A. Bastante veloz, mas com um trecho cadenciado no final. Estas primeiras faixas são com Zoli nos vocais.
2) In My Time. Outra faixa muito boa, bastante veloz, com energia exalando, um ótimo arranjo vocal, que é, mais uma vez, o grande destaque, embora a harmonia mereça seu destaque, também.
3) Black Light. A faixa mais lenta do split. Não é ruim, parece bastante com Fugazi, mas não possui a mesma energia das demais faixas. Um bom desenho melódico da voz, que é o grande destaque, além de eventuais frases executadas em conjunto pelos instrumentos.
4) Man Against Man. Outra excelente faixa, com ótima harmonia, embalo e expressão, existindo um trecho cadenciado no refrão e no final. Bastante energia, com destaque para a parte A, seu embalo e progressão harmônica.
5) Ash Return. Aqui começam as faixas com Joe no vocal. Esta faixa possui uma introdução bem cadenciada, com uma boa frase do baixo, porém, depois, vem a velocidade e o embalo, porém, mantendo a ideia da introdução.
6) Distance. Considero esta faixa uma das melhores do split, com um ótimo arranjo, também possuindo uma introdução mais cadenciada até entrar a velocidade e o embalo, com destaque para a progressão harmônica e desenho melódico da voz na parte A, bem como eventuais pausas no arranjo.
7) Slow. Bastante embalo e energia nesta que considero uma excelente composição, lembra bastante um skate punk. Acentos no contratempo são o grande destaque da faixa.
8) Should Have Known. Mais uma composição bem embalada e com muita energia. Trocas rápidas de acorde. O destaque está na energia, porém as eventuais desafinadas de Joe não colaboram para o resultado final!
9) Far Away. Considero esta uma das melhores faixas do split. A harmonia da introdução lembra muito a música São Paulo, do Cólera! Excelente progressão harmônica, bom desenho melódico da voz e um bom arranjo no refrão são os grandes destaques da faixa.
10) Sided. O split finaliza com a faixa mais bem trabalhada. Uma boa composição, com uma boa introdução, muita energia, embalo e velocidade. Destaque para o arranjo da guitarra e o contracanto na parte B.
Escute o split e conheça o benefício!

Nenhum comentário :

Postar um comentário