segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Aiden - Rain In Hell (2006)

GÊNERO: Emo Core
ORIGEM: EUA (Seattle-K.C. / Washington)
FORMAÇÃO:
William Francis (Vocal, teclado)
Angel Ibarra (Guitarra)
Jake Wambold (Guitarra)
Nick Wiggins (Baixo)
Jake Davison (Bateria)
.
Este é o quarto lançamento do grupo, segundo Ep, e foi lançado pelo selo Victory. Não é um álbum muito bom, exceto pelas duas faixas cover que possui. É uma banda que muitos dizem que é post hardcore, mas pra mim é emo, não difere muito. A influência de AFI dos anos 2000 é evidente, existindo um clima "sombrio" no visual e nas temáticas do grupo, por isso muitos consideram a banda como horror punk. Mas na boa, até se percebe influência de Misfits, mas colocar as duas bandas no mesmo lugar não tem como, por isso continuo categorizando como emo! Vale a pena conferir pelas faixas cover, as outras são ruins, bem fraquinhas.
.
FAIXA A FAIXA:
1) A Candlelight Intro. Uma faixa bem de introdução, com sons de trovão e tempestade que logo vai aparecendo os instrumentos, iniciando por um dedilhado da guitarra com o mesmo acorde da versão de Halloween do Alice Donut!. Quando a voz entra, os instrumentos executam a mesma frase rítmica com constantes pausas. Bem clima de introdução mesmo.
2) The Suffering. Um bom embalo na estrofe, porém o refrão dá uma cadenciada e transforma o único elemento agradável de se ouvir em algo desagradável! A melodia vocal é o ponto fraco, muito "meloso" e "chorão". Os arranjos instrumentais são o que a música tem de melhor em termos de criação.
3) We Sleep Forever. Música com videoclip de divulgação, este é o melhor exemplo da influência de AFI dos anos 2000. Já melhor que a faixa anterior, mas ainda assim bem fraquinha, casualmente com as mesmas características da faixa anterior.
4) White Wedding. Sem sombra de dúvidas a melhor música do álbum, disparado! Esta é um cover do Billy Idol, lançado originalmente em seu álbum homônimo, em 1982. Bem hard rock, com baixo pedal, bateria bem marcada e riffs bem interessantes de guitarra, realmente vale a pena ouvir!
5) Die Die My Darling. A segunda melhor faixa do Ep, um cover de Misfits lançado originalmente em 1983, no álbum Earth A.D., porém gravada durante as sessões de Walk Among Us, em 1981. Existe uma diferenciação no arranjo em relação à original, mas nada que comprometa a composição, porém nada de especial também. Muito boa a versão, vale a pena conferir.
6) Silent Eyes. Esta é a última faixa do Ep, uma versão acústica, apenas violão e voz. Uma boa escolha para finalizar o álbum, mas com certeza a pior faixa do álbum, muito deprimente já que ela foi feita em homenagem ao baterista John Holohan. Válido pela homenagem.
Escute o álbum para conferir, ao menos, as duas versões cover, não irá se arrepender!

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Agressor - Orbital Distortion (1989)

GÊNERO: Black Metal
ORIGEM: França (Antibes / Provence Alpes Côte d'Azur)
FORMAÇÃO:
Alex (Vocal, guitarra)
Laurent (Baixo)
Thierry (Bateria)
.
Esta é a quinta demo do grupo, lançada de maneira independente pouco antes de seu primeiro álbum, tanto que todas as músicas desta demo estão no seu álbum de estréia. É aquele típico black metal da década de 80 que às vezes se confunde com o thrash, lembra bastante Possessed, porém com vocal mais grave. É interessante a mixagem da voz que mantém um reverber constante, dando a sensação de um vocal mais sepulcral! Veloz e com belos riffs, recomendo ouvir esta demo e ter uma noção do som que o grupo fazia na época!
.
FAIXA A FAIXA:
1) Paralytic Disease. Som veloz, com constantes riffs de guitarra e com levada em blast beat em alguns momentos, existindo uma parte mais cadenciada no momento do solo, mas que não dura muito tempo. Enfim, uma ótima música para abrir a demo.
2) Bloody Corpse. Esta música tem uma introdução mais cadenciada, à la Metallica (aparece, também, na metade da música), mas que não dura muito tempo, para logo em seguida vir o petardo! Com um riff bem estilo Possessed e um vocal grave e rouco acompanhado de uma bateria veloz, às vezes executada em blast beat, são as características deste som. Muito boa música!
3) Elemental Decay. Na minha opinião, a melhor faixa da demo, palhetadas rápidas, embalo na levada, blast beat, e, claro, o vocal grave, além de eventuais riffs no estilo Possessed são as características da música que encerra a demo, porém existe um trecho cadenciado no meio da composição. Música pra fechar a demo com chave de ouro!
Ouça a demo e escute a porrada dos franceses!

domingo, 13 de agosto de 2017

Aggression - Forgotten Skeleton (2004)

GÊNERO: Thrash Metal
ORIGEM: Canadá (Montreal / Quebec)
FORMAÇÃO:
Butcher - Éric Langlois (Vocal)
Burn - Bernard Caudron (Guitarra)
Sasquatch - Denis Barthe (Guitarra)
Dug Bugger - Yves Duguay (Baixo)
Gate - Gaëtan Bourassa (Bateria)
.
Este é o segundo álbum de estúdio do grupo, mas deveria ser o primeiro, já que foi gravado em 1986, deveria ter sido lançado no mesmo ano, mas acabou sendo lançado apenas em 2004 pelo selo Great White North. É o legítimo thrash do final da década de 80, assemelha-se a muitas bandas, como por exemplo Possessed, Slayer, Sodom, Destruction, Vulcano, Sepultura, Nuclear Assault, M.O.D., Exploited, entre outras, mas já deu para tirar uma febre de como é o som dos caras! O vocal não acompanha o nível técnico do resto do grupo, mas mesmo assim não deixa o som ruim, apenas com aquela sensação de que poderia ser melhor! De qualquer forma é um som veloz, o que faz ser um disco que vale a pena ser apreciado. Existem três faixas da primeira demo de 1985, também. Para quem curte o thrash dos anos 80, não vai se decepcionar em nada com este disco!
.
FAIXA A FAIXA:
1) Forgotten Skeleton. O álbum abre com um petardo instrumental, já dando o recado de que não tem frescura no som: rápido, veloz, furioso e com muitos riffs. Para mim, uma das melhores do disco! Começaram bem!
2) By The Reaping Hook. A música começa extremamente veloz, com uma bateria com blast beat, porém isso até o vocal começar a cantar. Isso ocorre no decorrer da música, sempre mais veloz quando não tem o vocal. Não acho das melhores, mas não é ruim.
3) Rotten By Torture. Muito boa música, mais uma vez bastante veloz, porém sem diminuir o andamento quando da voz, mantendo o embalo do início ao fim, sempre com muitos riffs de guitarra. Existe uma parte mais cadenciada executada com dois bumbos pela bateria, mas logo em seguida volta a ser veloz. Vale a pena conferir!
4) Green Goblin. Talvez a música mais veloz do álbum. Realmente um petardo quase que do início ao fim, o que faz esta ser a música de menor duração. Me lembra bastante Cryptic Slaughter, apesar da cadenciada que existe no final da faixa. Muito boa.
5) Frozen Aggressor. Muito boa música, lembra uma mistura de Exploited com Possessed e vocal de crossover. Um riff de guitarra não tão quadrado devido às acentuações, existindo eventuais partes cadenciadas, também não quadradas. Também muito boa a faixa.
6) Forsaken Survival. Para mim esta é uma das melhores do álbum. Veloz e com uma pegada mais crua, mais punk, existindo um riff no refrão que é espetacular, ainda mais que este é acompanhado pela bateria, também. Talvez, até, a melhor do disco.
7) Mutilator - Beware Of The Scarecrow. Muito boa música, a qual começa em fade in com um riff de guitarra que vem acompanhado da bateria e baixo, para logo em seguida iniciar uma espécie de introdução, o que seria a Mutilator, instrumental. Quando inicia Beware Of The Scarecrow, a velocidade inicia, com muita raiva nas palhetadas, o que faz a diferença do som, que também considero uma das melhores.
8) Kachina Dolls. Provavelmente a melhor faixa do álbum. Esta inicia com uma palhetada veloz da guitarra em sua introdução, para logo em seguida esta executar um riff à la Destruction, e, mais uma vez, a velocidade em evidência. Existe uma parte cadenciada executada com dois bumbos, o qual aparece o solo, algumas frases de guitarra e baixo, para então, uma frase bem atípica com o restante da música aparecer, algo semelhante a uma melodia de circo, finalizando com o mesmo petardo do início do som.
9) Bloody Massacre Carnival. Considero esta uma das piores do álbum, apesar de também ser veloz, iniciando, inclusive com uma levada em blast beat, não é uma música ruim, mas sem nada de mais.
10) Demolition. Também considero esta uma das melhores do álbum, com um riff bem Exploited, lembra um pouco de Extreme Noise Terror, além de ter aquele riff à la Destruction, também. Realmente muito boa, vale a pena conferir.
11) The Final Massacre. Esta seria a última música do álbum caso este tivesse sido lançado em 1986. Também acho esta uma das piores do álbum. Acho que é a música mais lenta de todas, mas ainda assim mantém aquela pegada bem thrash, mas não empolga.
12) Evil Pox. Esta é a primeira faixa demo do álbum. Percebe-se que é um som mais cru, afinal de contas é uma demo, mas mantém a mesma pegada veloz das faixas anteriores, a única diferença é a qualidade da gravação.
13) Metal Slaughter. Considero esta uma das melhores do disco, lembra um pouco de Venom e um pouco de Warfare. Creio esta ser a música mais punk do álbum, vale a pena conferir.
14) Torment Or Death. A música que fecha o álbum não deixa nada a desejar em relação às demais, com o mesmo pique veloz e os riffs marcantes da guitarra. Lembra muito Slayer, principalmente devido aos solos.
Ouça o álbum e perceba que os canadenses também fizeram história no thrash metal nos anos 80!