segunda-feira, 29 de maio de 2017

AC/DC - Beating Around The Bush (1980)

GÊNERO: NWOBHM
ORIGEM: Austrália (Sydney / New South Wales)
FORMAÇÃO:
Bon Scott (Vocal)
Angus Young (Guitarra)
Malcolm Young (Guitarra)
Cliff Williams (Baixo)
Phil Rudd (Bateria)
.
Este é um single de divulgação da música título, o qual o lado B possui duas músicas em versão ao vivo gravadas no show do dia 2 de Novembro de 1979, no Hammersmith Odeon, em Londres, durante a turnê de divulgação do álbum Highway To Hell. O curioso é que o lado A toca em 45 RPM, enquanto o lado B toca em 33 RPM! Este single foi lançado poucos meses após a morte do vocalista, pelo selo Atlantic. AC/DC dispensa comentários, muitos conhecem e cada um tem sua opinião, o que vale destacar é o trabalho de dinâmica que existe no arranjo das músicas, elas nunca terminam com a mesma dinâmica que começam, existe um crescendo à medida que a música se desenvolve para que a partir do solo tenha seu ápice. Não são todas, mas a grande maioria, e isso, com certeza, faz com que esta seja uma das grandes bandas da história!
.
FAIXA A FAIXA:
O single começa com a música título, Beating Around The Bush, exatamente como sua versão no álbum. É uma música com um riff poderoso que já se apresenta logo no início, complementado com um arranjo cheio de pausas na parte A, o que dá um toque bastante interessante, já que estes espaços são preenchidos pela voz. Na segunda volta a guitarra acompanha a melodia vocal, para depois do refrão começar o solo, com a ideia do crescendo na dinâmica se apresentando, porém a parte A volta como na primeira volta, existindo um segundo solo logo em seguida, o que prepara para o final da música. A expressão vocal dá aquele tempero a mais para a composição. Excelente música, vale a pena conferir!
Live Wire é a primeira das duas músicas ao vivo, é a que abre o show. Não tem exemplo melhor que este para perceber o crescendo na dinâmica da música, embora nesta versão, todos instrumentos já começam forte em comparação à versão de estúdio, mas mesmo assim não perde a intenção. São três acordes executados, alguns deles, no contratempo, enquanto o baixo se mantém pedal em Si, o que causa uma ótima impressão e sensação. Considero uma das melhores músicas do grupo, já tive a oportunidade de apresentá-la ao vivo com um aluno de guitarra e outro de contrabaixo. O riff no momento do solo é muito bom, o qual fica ainda melhor no momento das pausas no final do solo. Realmente excelente!
Shot Down In Flames é a última faixa do disco. Sou um grande fã desta música, ela tem um embalo que poucas composições conseguem ter, além de um riff de guitarra bem blues, mas com cara de rock 'n' roll! O vocal de Bon Scott é outro destaque desta composição que tem um dos solos mais simples do grupo, mas ao mesmo tempo criativo, o que faz toda a diferença, deixando-o um solo que dá vontade de ouvir de novo! Todos devem ouvir!
Ouça o single e confira as excelentes versões ao vivo de dois clássicos do grupo!

Nenhum comentário :

Postar um comentário