sábado, 13 de maio de 2017

A Wilhelm Scream - Mute Print (2004)

GÊNERO: Hardcore Melódico
ORIGEM: EUA (New Bedford-B.C. / Massachusetts)
FORMAÇÃO:
Nuno Pereira (Vocal)
Trevor Reilly (Guitarra)
Christopher Levesque (Guitarra)
Jonathan Teves (Baixo)
Nicholas Pasquale Angelini (Bateria)
.
Excelente álbum já na estreia do grupo! Primeiro álbum lançado sob o nome de A Wilhelm Scream (e não mais Smackin' Isaiah) pelo selo Nitro. As guitarras são destaque no álbum, principalmente por apresentar técnicas variadas e interessantes como tapping e legatos, mas os demais instrumentos não ficam para trás, demonstrando boa técnica e, o principal, boa sincronia entre si. É um som que lembra uma mistura de Strung Out com Good Riddance e desenhos melódicos semelhantes ao AFI. Vale a pena conferir! Tive a feliz oportunidade de assisti-los ao vivo, e a energia no palco é até maior daquela que se percebe no álbum!
.
FAIXA A FAIXA:
O álbum começa com a música que dá título ao álbum: Mute Print. Uma das melhores do álbum, mesmo sendo de curta duração, ela começa com apenas a voz, para depois os instrumentos se apresentarem! Logo no início o embalo não é dos mais velozes, mas logo em seguida acelera, na qual vem riffs de guitarra com tapping dando um cartão de visitas do que está por vir! Esta faixa possui videoclip de divulgação.
Logo após começa a música Famous Friends And Fashion Drunks, a qual também possui videoclip de divulgação. O ponto forte da música são as guitarras, principalmente em sua frase em ostinato melódico descendente existente mais pro final da música. Só este detalhe já faz a música ganhar o merecimento de ser apreciada!
A terceira faixa, Anchor End, é embalada, e também tem destaque para as guitarras, porém possui o refrão bastante fraquinho, mas não o bastante para torná-la uma música chata, muito pelo contrário, é uma ótima composição!
William Blake Overdrive é a quarta faixa e uma das melhores do álbum, veloz e embalada quase que do início ao fim, com excelentes riffs de guitarra, que mais uma vez são  o instrumento de destaque, embora a parte melódica seja bem marcante e a bateria tenha seus momentos de frases bem executadas.
A faixa 5 chama-se Brand New Me, Same Shitty You, na minha opinião, é a pior do álbum. Com certeza a mais fraquinha, embora as frases com legato da guitarra dão um toque especial para o arranjo da composição. Não chega a ser ruim, mas perde se comparado às demais músicas do álbum.
The Rip é uma das melhores músicas do álbum, em especial pelo embalo e velocidade, mas também pelos arranjos de guitarra e bateria. As semi-colcheias do riff da guitarra na introdução me lembram muito trilhas para jogos de Atari! Muito bom!
A faixa 7 do álbum chama-se Retiring. Não é muito veloz, mas é muito boa, com um refrão sing-a-long que facilita seu entendimento. Muito parecida com músicas do Face To Face, vale a pena conferir!
Stab. Stab. Stab. dá nome à faixa 8, também está entre as 5 melhores do álbum, embalada e veloz, com destaque, mais uma vez, para as guitarras que executam riffs quase que o tempo todo da composição, que também tem uma boa execução melódica.
A faixa 9 leva o nome de A Picture Of The World, a qual é uma das músicas mais bem, trabalhadas do álbum, com muitos momentos que exigem boa sincronia dos músicos, elemento este que se torna o destaque da música, também não é muito veloz, mas mantém o embalo nos momentos em que arranjos sincronizados são executados.
Kursk é, na minha opinião, a melhor música do álbum, com um riff de guitarra na introdução característico do heavy metal, veloz e embalada, embora existam momentos mais na manha. Enfim, o riff da guitarra no início faz valer por qualquer elemento, muito bom mesmo!
A última música do álbum chama-se Dreaming Of Throwing Up, e é a música ideal para finalizar o álbum. Considero a música mais diferente das outras, lembra bastante Swingin' Utters e um pouco (de novo) de Face To Face, criando diversos climas diferentes no decorrer da música, o que é, por sinal, o aspecto positivo da faixa.
Ouça o álbum e confira um dos expoentes de uma nova geração do hardcore melódico que surgiria por esta mesma época!

Nenhum comentário :

Postar um comentário