quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Bellrays - Raw Collection Vol. 2 (2005)

GÊNERO: Garage Punk
ORIGEM: EUA (Riverside-R.C. / California)
FORMAÇÃO:
Lisa Kekaula (Vocal, tamborim)
Tony Fate (Guitarra)
Bob Vennum (Baixo, guitarra, percussão)
Ethan Halpern (Baixo)
Ray Chin (Bateria)
Todd Westover (Bateria)
Eric Allgood (Bateria)
.
Esta é a terceira coletânea lançada pelo grupo, após 4 álbuns de estúdio, através do selo Bittersweet. Embora eu tenha classificado o som do grupo como garage punk, este é um álbum que nos remete a algum lugar entre os anos de 1967 e 1972, seja o estilo que for! O grupo tem características, além do garage punk, de punk rock, rock 'n' roll, rock psicodélico, funk e soul, estes dois últimos muito em função do vocal, que, ao meu ver, é o grande destaque do grupo. É uma banda com característica bem peculiar em seu som, gosto muito do grupo. O ponto fraco do álbum, na minha opinião, é a qualidade da gravação. Dá a sensação de que queriam manter as características dos grupos do final da década de 60 ou início da década de 70, então a mixagem deixa a desejar, embora atinjam o objetivo de se assemelhar com o período. Vocal potente e com muita expressão em cima de guitarras cheias de overdrive ou fuzz, realmente vale a pena ouvir. Esta coletânea conta com músicas que foram lançadas em singles ou coletâneas com diversos grupos lançados no período entre 1995 e 2004, existindo, inclusive, 4 faixas cover.
.
FAIXA A FAIXA:
1) Swinging The Blade. Considero esta faixa uma das melhores do álbum. O interessante é que a ponte existente na parte A da música é igual à música Where Nowhere Is do Hoodoo Gurus! Bem garage punk esta faixa, vale a pena ouvir!
2) Get It Right. Esta é a melhor faixa do álbum na minha opinião. Não muito acelerada, mas com um riff marcante que poderia muito bem ter sido criado por alguém do Deep Purple é o que torna a música bem interessante, existindo um baixo pedal na última volta que também eleva a qualidade da faixa! Vale a pena ouvir!
3) Chain On You. Esta é, na minha opinião, a pior faixa do álbum. Fraquinha, sem potência e lenta, lembra um pouco bandas como Creedence Clearwater Revival. Realmente não aconselho a ouvi-la!
4) I Got To Find My Baby. Este é o primeiro cover a aparecer no álbum! É uma música composta por Peter Clayton e gravada por ele mesmo, sob o nome de Doctor Clayton, em 1941. A versão original é um blues, mas muitos a conhecem na versão de Chuck Berry que a tornou mais rock 'n' roll. A versão deste álbum se assemelha à de Berry.
5) I'm A Lover. Outra música bem rock 'n' roll, lembra bastante a música Rocker do AC/DC ou qualquer outra música de rock 'n' roll dos anos 50 ou 60 como Great Balls On Fire! Boa faixa para quem gosta de rock 'n' roll!
6) Destroy All Everything. Única faixa instrumental do álbum, é uma boa música, tem a intenção de simular uma ideia de guerra e tem um riff que se mantém por quase toda música, muito semelhante à música tocada na apresentação de bandas do filme Queimando Tudo (Up In Smoke)! Conta, inclusive, com sons de tiros!
7) Dream Police. Outro cover! Esta música foi composta por Rick Nielsen e gravada originalmente pelo grupo Cheap Trick em 1979. É uma música muito conhecida, vários artistas já a regravaram e, inclusive, o personagem Apu, dos Simpsons, aparece cantarolando-a em um dos episódios. Legítimo hard rock que era feito no final dos anos 70!
8) If I Wanted To. Mais uma faixa cover! Esta música foi composta por Deniz Tek e gravada originalmente pelo grupo Radio Birdman em 1981. É bem punk rock, com muito overdrive e "sujeira" no arranjo. Muito boa a faixa, vale a pena ouvir!
9) Heat Cage. Outra faixa que considero das melhores do álbum! Esta tem um riff muito interessante onde o arranjo de bateria acompanha, sempre executado com muita "chiadeira" proveniente dos pratos. Vale a pena ouvir!
10) I Don't Need No Doctor. O último cover do álbum! Esta música foi composta por Nick Ashford, Valerie Simpson e Jo Armstead, gravada originalmente por Ray Charles em 1966. Também considero uma das melhores faixas do álbum, realmente muito boa. Um blues mais pesado e mais "sujo" é como eu definiria esta faixa!
11) Dark Horse Pigeon. Muito boa a faixa, considero esta a faixa mais experimental de todo álbum, existindo diversos arranjos bem diferentes entre as partes. Muita variação rítmica, notas e acordes dissonantes e sem definição de tonalidade são as características mais marcantes.
12) High School. Outra música bem hard rock ao estilo Rolling Stones ou AC/DC! Muito boa faixa, é bem rock 'n' roll, mas com muito overdrive. Frequentes pausas ajudam a elevar a qualidade da faixa.
13) Good Thing. Talvez a música mais embalada do álbum, outra faixa muito boa. Também bem hard rock, mas com mais estilo punk rock. Acentos bem marcados elevam a qualidade da faixa, muita expressão e muito fuzz! Vale a pena conferir!
14) One For The Heart. Considero esta uma das piores do álbum. É um rock 'n' roll bem básico, devagar, comum, trivial, que não acrescenta em nada. Arranjos e composições iguais a esta têm de monte, sendo assim, apenas uma música a mais.
15) Train, Train, Train. Excelente faixa, com certeza a música com mais groove e swing de todo álbum. A parte A se baseia basicamente em um acorde de E7, ao estilo Purple Haze do Jimi Hendrix. Bastante característica de funk e soul nesta faixa, que tem no groove o seu ponto forte.
Ouça o álbum e conheça o punk soul rock funk do grupo e volte no tempo até o final da década de 60!

Nenhum comentário :

Postar um comentário