domingo, 9 de abril de 2017

7 Seconds - Ourselves (1988)

GÊNERO: Rock
ORIGEM: EUA (Reno-W.C. / Nevada)
FORMAÇÃO:
Kevin Seconds (Vocal)
Bob Adams (Guitarra)
Steve Youth (Baixo)
Troy Mowat (Bateria)
.
Este é o sexto álbum da banda (o quinto de estúdio), lançado pelo selo Restless, e o primeiro a ser por completo mais lento, aliás, este é o álbum mais fraquinho do grupo, após ouvir umas 5 vezes o álbum, é possível identificar elementos bastante positivos, o difícil é se desprender da ideia de que esta é uma banda de hardcore! Na verdade este álbum soa um pouco com bandas australianas da década de 80 como Hoodoo Gurus ou Spy Vs. Spy. O álbum dá a impressão de que existe uma grande preocupação por parte dos integrantes à detalhes e expressão, como se quisesse causar uma sensação positiva nesta mudança de gênero nesta fase. Os arranjos de piano são executados pelo baixista Steve Youth. É um bom álbum, mas àqueles que tem o antigo 7 Seconds como referência devem ir com mais cautela!
.
FAIXA A FAIXA:
O álbum começa com a faixa Escape And Run, que para mim não é das melhores do álbum apesar das criativas linhas de baixo, aliás, sou suspeito para falar, mas sou um grande fã do Steve Youth, e, com certeza isso fica evidente quando toco! É um rock com guitarras abertas e vocais bem melódicos e sem muita potência.
A segunda faixa, Far Away Friends, já melhora um pouco o nível das músicas, mas não muito, principalmente devido ao arranjo da bateria, que conduz o hi-hat, algumas vezes, em semi-colcheias, com vocais, também, bem melódicos e acordes de guitarra abertos.
The Save Ourselves é o nome da faixa 3 que, na minha opinião, é uma das piores do álbum, apesar do refrão que tem um bom arranjo de guitarra, também, com vocais melódicos, existindo uma frase de guitarra que tem um timbre característico para muitas músicas do álbum, bem como um arranjo bem funk no final.
A quarta música já considero uma boa música, esta se chama If I Abide, a introdução é muito boa, dando uma boa expectativa para o que virá a seguir, o que não se confirma por completo, apesar de existir uma boa frase de guitarra semelhante a da faixa anterior, presente, também, no final da faixa, o que já prepara para a música seguinte.
A quinta faixa, Wish I Could Help, na minha opinião, é a melhor do álbum, começa com uma frase de guitarra (que também está presente no refrão) que me lembra She Sells Sanctuary do Cult, o vocal, apesar de manter a característica melódica, já usa mais potência. Vale a pena conferir!
Sleep é uma música instrumental, uma das três melhores do álbum. Arranjos muito bem construídos, a guitarra em evidência, apesar da linha do baixo dar toda sustentação harmônica e melódica ajudam na qualidade da música. Em alguns momentos lembra bandas de rock progressivo da década de 80, existindo uma variação rítmica em seu final.
A sétima faixa chama-se Sister e é uma das mais fraquinhas e sem sal das músicas do álbum, arranjo e composição bem triviais, com nada de especial, e, claro, vocais bem melódicos!
A faixa 8, Middleground, é, na minha opinião, a pior faixa do álbum, lenta, quase uma balada, um arranjo de guitarra dedilhado deixa a música mais suave do que já é! O refrão tenta dar um embalo pra música, mas não o suficiente.
When One Falls é uma boa música, com uma progressão harmônica que lembra mais o punk rock, mas suaviza no refrão, não empolgando o suficiente como poderia.
A faixa 10, Some Sort Of Balance, também é uma boa música, existindo uma frase em conjunto com todos instrumentos que traz o diferencial para o arranjo, com acordes abertos de guitarra, às vezes arpejado, mas como o refrão tem um arranjo simples, sem nenhum elemento de destaque, a música também não empolga como poderia.
A última faixa Seven Years, é uma das melhores do álbum, realmente boa, a começar pelo arranjo de guitarra da introdução e parte A, que não perde o clima no seu refrão, que tem um arranjo, principalmente, de bateria, extremamente criativo, o que chama atenção de maneira positiva. O solo de guitarra também cria um clima interessante para a nova parte da música que vem a seguir.
Apesar de ser um dos álbuns mais fraquinhos do grupo, confira o álbum e confirme que, ouvindo com atenção, o álbum tem elementos bem interessantes para se usar como referência!

Nenhum comentário :

Postar um comentário