sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Combat 84 - Charge Of The 7th Cavalry (1989)

GÊNERO: Oi!
ORIGEM: Inglaterra (Chelsea / Londres)
FORMAÇÃO:
Chubby - Chris Henderson (Vocal)
Jim Moncur (Guitarra)
Deptford - John Armitage (Baixo)
John Fisher (Bateria)
.
Este é o segundo álbum ao vivo do grupo, lançado pelo selo Link, após 1 álbum de estúdio e dois ep's. É um som típico do gênero, lembra uma mistura de Blitz com os primeiros álbuns do Exploited. A banda causou polêmica em uma entrevista à BBC, em 1982, quando entrevistados sobre o movimento skinhead, encerrando suas atividades logo após, para depois retomá-la novamente. Os integrantes participaram de diversas bandas do gênero, como Business, Last Resort e 4-Skins. É um bom álbum, mau tocado, com a técnica deixando a desejar, mas com muita energia. A qualidade não é muito boa, já que não possui nenhum tipo de edição ou mixagem, mas retrata bem o show feito no bar Skunx. O grupo repete duas músicas no seu repertório. É um bom álbum, não muito veloz, bem quadrado (ritmicamente falando), com vocal com drive o tempo todo, e muita energia!
.
FAIXA A FAIXA:
1) Rapist. O álbum inicia com um clássico do grupo, bem típico de bandas Oi!, apenas com a guitarra, para depois entrar os demais instrumentos e a voz. Não é uma faixa veloz, mas bem marcada.
2) Violence. Considero esta uma das melhores faixas do álbum, principalmente devido ao seu refrão, o qual possui uma ótima progressão harmônica e um vocal bem sing-a-long. No mais, mantém a característica do gênero, sem muita velocidade e muita energia.
3) Combat 84. Também considero esta uma das melhores do álbum, também devido ao refrão, principalmente. Esta já é um pouco mais veloz que as faixas anteriores, mas ainda assim, não muito.
4) Skinhead. Esta faixa tem um bom arranjo da guitarra, o que, aliás, é o grande destaque, pois cria toda a intenção para a composição. O baixo faz uma frase bem simples, mas que preenche bem o espaço, quando não tem a voz.
5) F82123. Esta faixa inicia com uma frase, bem ritmada, executada pelo baixo (parece até um Dead Kennedys!), mas que se torna bem quadrada quando a bateria entra, já que este não acompanha a mesma divisão, forçando o baixo a mudar também. Boa faixa, mas este detalhe me incomoda!
6) Poseur. Com certeza a melhor faixa do álbum! Bem embalada, apesar de não muito veloz e com uma excelente progressão harmônica na parte A, o que considero o grande destaque da composição. Vale a pena conferir!
7) 1982. Boa faixa, bem típica de composições do gênero, se assemelhando às faixas anteriores. Nada de empolgante, mas uma boa faixa.
8) World War. Esta faixa mantém as mesmas características da faixa anterior, porém esta já me lembra algumas bandas brasileiras da década de 80!
9) Trouble. Outra faixa que considero das melhores, principalmente devido à progressão harmônica da parte A, com certeza o grande destaque da composição. A parte B também tem seu valor, mas é a parte A que se destaca! O interessante é que nesta faixa a bateria é executada pelo antigo baterista, Brownie.
10) Soldier. Boa execução da guitarra na introdução, mas com as mesmas características das demais faixas, sem muita velocidade, boa, mas com nada de especial.
11) Rapist (Encore). Repeteco da primeira faixa! É uma versão bem parecida com a anterior. Talvez um pouco mais leve e solta por estar no final da apresentação.
12) Combat 84 (Encore). Mais um repeteco! Desta vez da faixa 3! Também bem semelhante à versão anterior, porém mais escrachada, talvez por estar no final da apresentação.
Ouça o álbum e sinta a carga da sétima cavalaria!

Nenhum comentário :

Postar um comentário