quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

GBH - Cruel & Unusual (2004)

GÊNERO: Punk Rock
ORIGEM: Inglaterra (Birmingham / West Midlands)
FORMAÇÃO:
Colin Abrahall (Vocal)
Jock Blyth (Guitarra)
Ross Lomas (Baixo)
Kai Reder (Bateria)
Scott Preece (Bateria)
.
Este é o décimo primeiro álbum lançado pelo grupo, através do selo Idol. O álbum conta com três momentos distintos: um possui as faixas lançadas no split chamado Punk As Fuck!!!, outro são gravações da época do lançamento do álbum, e o terceiro são versões ao vivo, gravadas no The Cockpit, em Leeds. Devido a estes três momentos, o baterista trocou, portanto Kai toca as três primeiras faixas, enquanto que Scott é o responsável pelas baquetas nas demais faixas. Embora eu tenha classificado como punk rock, o álbum fica na tangente com o street punk, e o curioso é que metade das faixas são cover! O grupo dispensa comentários, sem referência, pois ele é referência para outros grupos, mostrando suas influências, composições atuais e clássicos do início da carreira. Um prato cheio para aqueles que curtem o som dos ingleses!
.
FAIXA A FAIXA:
1) No. As três primeiras faixas do álbum foram lançadas em 1999 no split com o grupo Billyclub, chamado Punk As Fuck!!!.Esta faixa é um cover, composição de John Callis, e gravada, originalmente, em 1978, pelo grupo Rezillos. Gosto bastante desta música, porém não me agradou a versão do GBH, acho que é uma tonalidade não adequada para a tessitura vocal de Colin.
2) I'm On Heat. Considero esta uma das melhores faixas do álbum. Também um cover, esta música foi composta por Pete Stride, e gravada, originalmente, pelo grupo Lurkers, em 1978. É uma versão bem fiel à original, sendo o tom, neste caso, adequado à extensão do vocal. É um punk rock britânico clássico!
3) Last Of The Teenage Idols. Mais uma faixa cover, desta vez uma composição de Alex Harvey, Hugh McKenna, e Zal Cleminson, gravada, originalmente, pelo grupo Sensational Alex Harvey Band, em 1973. É uma das faixas que menos me agrada njo álbum, apesar de não ser ruim. Ela possui diferentes intenções, o que é o ponto forte da composição. A versão do GBH ficou mais pesada.
4) Punk Rock Ambulance. Esta e as próximas duas faixas foram gravadas na época em que este álbum foi lançado, sendo esta a única composição do grupo, as outras são cover. É um punk rock com pequenas pitadas de street punk, não é uma má música, mas não é das melhores, o destaque está no refrão e no riff da parte A.
5) 3-Piece Suit. Esta é uma faixa cover, composta e gravada, originalmente, pelo grupo Billyclub, em 1996. Considero esta uma das melhores faixas do álbum, principalmente devido ao riff de guitarra na parte A. Não muito veloz, mas bem embalada.
6) Happyville, USA. Mais uma faixa composta e gravada, originalmente, pelo grupo Billyclub, porém esta foi no ano de 2001. Uma boa composição, sendo o grande destaque a parte A, bem intimista e com muita influência de Police Truck, do Dead Kennedys!
7) Freak (Live). As próximas faixas, a partir desta, são faixas ao vivo, gravações de clássicos do grupo do show ocorrido no The Cockpit. Esta faixa é um street punk, clássico do início da carreira do grupo. Me agrada bastante esta composição, e esta versão é uma boa versão.
8) Time Bomb (Live). Mais um clássico do início da carreira do grupo em uma boa versão ao vivo! Também um street punk bem embalado, com um refrão sing-a-long e uma boa progressão harmônica na parte A, apesar de simples.
9) Drugs Party In 526 (Live). Outro clássico ao vivo, mas desta vez não tão antigo quanto às anteriores. Uma boa composição, embora não a considero das melhores. Não muito veloz, o destaque está no refrão, bem marcado pela bateria.
10) Give Me Fire (Live). Considero esta a melhor faixa do álbum! Um dos grandes clássicos do início da carreira do grupo. Bem expressiva, com muita intenção, em especial devido ao vocal, além de bastante embalada. Dispensa comentários!
Ouça o álbum e se torne cruel e incomum!

Nenhum comentário :

Postar um comentário