sábado, 8 de setembro de 2012

Oc Toons - What Doesn't Kill Us Makes Us Stronger (2007)

GÊNERO: Hardcore Melódico
ORIGEM: França (Biarritz / Aquitânia)
FORMAÇÃO:
Lokx (Vocal)
Manux (Guitarra)
Remi (Guitarra)
Alec (Baixo)
Gerald (Bateria)
.
O álbum possui músicas com compasso quaternário e andamento médio de 120 bpm. O ritmo é pouco denso apesar das frequentes síncopas, sendo elevado, principalmente, devido à variações de cadência, pausas e arranjos específicos de cada instrumento, mantendo a figura da colcheia como a mais frequente. A melodia caminha, geralmente, por graus conjuntos, possuindo altura e extensão pouco elevados, mantendo as notas da tríade da tonalidade como referência. A harmonia é executada toda em power chords existindo eventuais intervalos de terça, bem como frequentes riffs de guitarra que ajudam a caracterizar a harmonia em questão. Destaque para a execução dos arranjos de guitarra.
.
DESTAQUE: The Dork
Música com compasso quaternário, tonalidade de Cm (Dó menor), e forma I-A-B-C-D-E-D-F-C'. O ritmo é pouco denso apesar das constantes síncopas, sendo elevado, principalmente, devido à pausas de pequena duração e eventuais acentos deslocados do tempo forte. A melodia caminha, geralmente, por graus conjuntos, possuindo altura e extensão pouco elevados, mantendo as notas da tríade da tonalidade como referência. A harmonia é executada toda em power chords, existindo uma variação tonal, em A, a qual está em Sol sustenido menor, bem como um acorde de passagem oriundo de cromatismo, também em A, e outro oriundo de empréstimo tonal em D e na introdução (I), sendo nesta: VI-IV-IV/VI-IV, em A: I-VII-IV-I-VII-Cr, em B: VI-VII-I-VII-I-VII, em C: I-VI-VII-IV-V, em D: I-IV/VI-VI-IV/VI, em E: I-VI-III, e em F: I-IV-VI-V-VI-VII. Entre E e F existe uma ponte onde nada mais é do que a execução do power chord do primeiro grau.

Nenhum comentário :

Postar um comentário